IAF Blog

Print
Press Enter to show all options, press Tab go to next option

Iluminando o caminho na zona rural de Honduras

Sarah Stewart *

By Inter-American Foundation on Comment

Em algumas áreas rurais da América Latina, não ter eletricidade é um modo de vida. Essa situação limita atividades básicas, como fazer o dever de casa à noite, carregar telefones celulares ou ter um refrigerador. Nessas áreas, as pequenas empresas são especialmente afetadas, confinadas a trabalhar em um determinado horário e com certas ferramentas, o que faz com que as vendas acabem permanecendo estagnadas. Enquanto isso, seus concorrentes urbanos avançam na produção, conquistando clientes valiosos. No entanto, as pequenas empresas mais dinâmicas encontram soluções para seus problemas.

A Fundação Interamericana (IAF) apoia seus parceiros, incluindo as pequenas empresas e organizações que os promovem e facilitando as conexões para compartilhar recursos e oferecer orientação. Por exemplo, em uma conferência recente patrocinada pela IAF em Honduras, o Grupo Juvenil Dion (GJD) e a Cooperativa Femenina de Producción Agropecuaria Alianza Limitada (COFEPROAL) iniciaram um relacionamento que culminou com a inauguração de uma iniciativa transformadora vários meses depois, que traria luz para uma comunidade rural hondurenha.

O GJD e a COFEPROAL compartilham o desejo de melhorar as condições e oportunidades econômicas nas comunidades onde trabalham. O GJD realiza treinamento vocacional e com pequenas empresas para a juventude em áreas periurbanas e rurais por todo o país por meio de unidades móveis de treinamento. O GJD seleciona locais com base na demanda e na oportunidade de expandir o fornecimento do serviço nesses setores, e também na questão de o desenvolvimento de pequenas empresas ser mais ou menos suscetível à extorsão (um problema significativo em Honduras). 

Installation1

Respondendo à demanda crescente por emprego na área de energias alternativas, como a energia solar, o GJD agora oferece uma especialização em instalação e manutenção de painéis solares em seu currículo de eletricista. Os alunos aprendem a comercializar e a participar em atividades práticas e o GJD auxilia na colocação em empregos quando for possível. A COFEPROAL é uma cooperativa localizada em Intibucá, formada por 24 membros (principalmente mulheres) que produzem tecidos em um espaço de produção esparsa na aldeia rural Lenca de Togopala, em Intibucá. As mulheres comercializam seus produtos de tecelagem em uma loja na grande cidade de La Esperanza, em Intibucá, e também gerenciam uma pequena loja de esquina de alimentos secos em Togopala. As vendas de produtos de tecelagem complementam a renda de suas famílias, proveniente de uma produção agrícola de pequena escala. Nos últimos anos, a cooperativa cresceu em número de membros e em sua visibilidade geral, conquistou novos clientes, aumentou as vendas e se mudou para um espaço de produção de quase 100 metros quadrados. 

No mês passado, as duas organizações se juntaram para colaborar em uma instalação de painéis solares. Por três dias, 14 dos alunos do GJD (incluindo três mulheres) instalaram 10 painéis solares no novo espaço de produção da COFEPROAL em Togopala, sob a supervisão de um técnico da fornecedora de painéis solares Solaris. Apesar dos dias chuvosos durante a instalação, os jovens demonstraram o conhecimento e as habilidades que adquiriram no curso, bem como um espírito de cooperação, solidariedade e compromisso com a COFEPROAL e entre si.

Como disse um dos alunos: “Foi uma ótima experiência: fazer uma instalação em um quadro de prática não é a mesma coisa que em um projeto de grande capacidade como esse. E isso reforçou nosso conhecimento de aspectos técnicos, como a inclinação dos painéis”. Para os mesmos jovens, essa foi a primeira vez em que eles viajaram para fora de suas comunidades e a primeira oportunidade de conhecer os povos indígenas Lenca. Eles ganharam uma visão mais ampla de seu país, aperfeiçoaram suas habilidades de trabalho em equipe e participaram de uma atividade de desenvolvimento social. Talvez o fato mais recompensador tenha sido ver os rostos das mulheres se iluminarem vendo seu local de produção ser energizado. Um dos alunos afirmou que “foi uma grande honra contribuir com pessoas de recursos escassos, que precisam da eletricidade para melhorar suas condições de vida”.

cofeproal-member 

Considerando que não há eletricidade em Togopala e que os únicos painéis solares existentes são de baixa capacidade, a instalação foi um grande passo para a COFEPROAL e seus membros.  Agora, eles podem trabalhar à noite e incorporar o uso de máquinas de costura para aumentar a variedade de produtos e trabalhar mais rápido nas finalizações. Com o tempo, expandindo e modernizando sua produção e atendendo pedidos pontualmente, seus lucros serão maiores e mais consistentes ao longo do ano.

E existem também os benefícios para a comunidade maior de Togopala. A COFEPROAL planeja oferecer um serviço para carregar telefones celulares por uma taxa nominal, facilitando a comunicação, e planeja também comprar um refrigerador para expandir o estoque de sua loja de esquina. Vendendo itens de grande demanda, como queijos e refrigerantes, os membros aumentarão a renda da organização, que poderão utilizar para cobrir os custos operacionais e investir em materiais. Um membro da COFEPROAL falou sobre a impressão que a juventude do GJD deixou na comunidade: “Você pode ver o interesse deles em ganhar novas experiências e o desejo de adquirir novos conhecimentos”. As mulheres ficaram impressionadas com o fato de a instalação ter acontecido sem nenhum problema e de o sistema ser totalmente funcional. “Isso vai melhorar a comunicação e fazer avançar o uso da tecnologia na comunidade”, como disse um membro da comunidade. As mulheres estão confiantes em que o sistema irá aumentar a renda da cooperativa e melhorar a qualidade de vida de seus membros. 


* Sarah Stewart Inter-American Foundation, representante para Honduras

Return to full list >>
comments powered by Disqus